Será que é mesmo um cão que eu quero?

0
183

Antes de adquirir um cão devemos ponderar os prós e contras!

o_ponto_de_interrogacao_a_pontuacao_do_simbol_camisa_ringer_para_cachorro-rd9af98820b7640ab8955fc2561b09b24_v9w78_8byvr_1200

Muitas vezes decidimos ter um cão sem ponderar e passados alguns dias ou meses vemos que na realidade não foi boa opção, porque falta-nos disponibilidade financeira, vida social etc…

Logo a decisão de ter um cão de companhia deverá ser uma decisão muito bem ponderada e preferencialmente uma decisão unânime de todos os membros de casa.

Muitas vezes as pessoas decidem ter um cão pelas seguintes razões:

  • Muitos vêm um cão como um substituto de algo ausente na sua vida (Ex: filho, amigo, etc). Os cães de porte pequeno, são o alvo preferencial.
  • Porque o filho ainda criança quer e gosta.
  • Como forma de estabelecer novos contactos sociais. Chama a atenção, um estimular conversas.
  • Querem apenas por o acharem bonito e poderem, sempre que apetecer, usá-lo como fonte de entretimento.
  • Muitos pelo estatuto social que estes podem conferir. Um cão de aspecto mais “exótico” pode transmitir um estatuto de classe, enquanto um aspecto mais perigoso, pode conferir um estatuto de bravura.


O que devo ter para dar a um cão?

Bom senso: Ter sensibilidade para perceber que um cão rege a sua vida por padrões bem diferentes dos humanos, obrigando por isso a necessidades igualmente diferentes.

Disponibilidade: Capacidade para inserir o cão na vida quotidiana / Familiar. Passeios, a educação, higiene e a saúde do cão.

Capacidade financeira: Dar uma boa vida a um cão tem custos inerentes, assim como a sua manutenção (Alimentação / Saúde).

Resistência emocional: Facilmente se estabelecem elos de ligação fortíssimos com um cão, pelo que, uma doença prolongada ou a sua perda podem causar grande sofrimento.

O que um cão tem para me dar?

Funcionalidade: Inerente à sua espécie, apelando aos instintos “básicos”de sobrevivência e à sua condição social enquanto cão, este disponibiliza-nos as suas capacidades funcionais (Sociabilizar, Farejar, Perseguir, Agarrar, Defender e Matar).

Lealdade: O reconhecimento da liderança ou dependência do dono, incutem no cão um grande espírito de lealdade. Muitas vezes levado ao extremo onde, em defesa do dono/líder, colocam a vida em risco. Igualmente, a perca do dono/líder, pode levar um cão a casos extremos de depressão.

Restrições sociais?

Espaços públicos: Os cães continuam a não ser aceites nos mais diversos locais, como por exemplo, restaurantes, lojas, transportes, praias, Hotéis, etc.

Vizinhos / Condomínios: Os cães podem incomodar os vizinhos. Muitas normas existentes em condomínios de habitação, não aceitam cães.

Ter um cão como companheiro ao longo de 10 anos ou mais  caso não exista nenhum dissabor é algo indescritível…

Antes de adquirir um cão pondere bem se é mesmo o que quer!

SHARE